Home / Mundo / Chorou desaparecimento da mulher e filhas para depois confessar homicídio

Chorou desaparecimento da mulher e filhas para depois confessar homicídio

Depois de a mulher grávida e de as duas filhas desaparecerem, Christopher Watts apareceu na televisão, na última terça-feira, para lamentar o sucedido e dizer que acreditava que a família seria encontrada. Agora sabe-se que foi detido e que confessou o triplo homicídio.

As imagens do momento em que lembrava aos jornalistas as pequenas histórias da família enterneceram os EUA. Christopher recordava, no alpendre de casa, em Frederick, no Colorado, EUA, os momentos em que tinha de mandar as filhas comer ou em que as observava a enrolar o cabelo enquanto viam desenhos animados, mas tudo não passava de uma farsa em que quase todos acreditaram.

O suspeito está em prisão preventiva e já terá confessado o crime às autoridades

“Ontem à noite, tinha todas as luzes de casa ligadas. Tinha a esperança de que seria ‘atropelado’ pelas meninas, mas isso não aconteceu”, disse ainda o homem de 33 anos na terça-feira, quando afirmava estar a viver um pesadelo. Mas esta quinta-feira tudo mudou. Foi detido em casa sob suspeita do homicídio da família e a polícia de Frederick, no Colorado, revelou no Twitter ter encontrado os corpos de Shanann Watts, a mulher, e de Bella (quatro anos) e Celeste (três anos), as duas filhas do casal. Segundo o canal de televisão “The Denver Chanell”, os corpos terão sido encontrados numa propriedade da Anadarko Petroleum Company, onde o alegado homicida trabalhava.

Segundo os jornais locais, que citam fontes na polícia, o suspeito está em prisão preventiva e já terá confessado o crime às autoridades. Penderão sobre ele crimes de homicídio e profanação de cadáver. O homicídio, revelam os procuradores, terá ocorrido dentro da casa da família, mas os pormenores do caso só serão conhecidos na próxima semana, quando forem apresentadas as acusações formais.

“É o meu rochedo”, pode ler-se na legenda de uma fotografia com o marido

Como é habitual nestes casos, procuram-se explicações que ajudem a perceber como tal crime pôde acontecer. Olhando para a página de Facebook de Shanann, ex-operadora telefónica num hospital de crianças e vendedora de produtos dietéticos, o casamento parecia perfeito. Duas filhas, mais um bebé a caminho e muitas fotos que atestavam a felicidade.

“É o meu rochedo”, pode ler-se na legenda de uma fotografia com o marido e que agora é utilizada por visitantes da página para destilar ódio contra o autor do crime. Numa outra publicação, uma montagem dos momentos felizes com o marido, divulgada no dia de aniversário.

No dia do crime, a mulher teria chegado de um viagem e uma amiga tinha ido buscá-la ao aeroporto, para a deixar em casa às duas da madrugada. Terá tido uma conversa “emocional” com o marido, mas não teria passado daí, segundo o próprio, que diz ter saído de casa às 5.15 horas de segunda-feira para trabalhar. Desde então, nunca mais a teria visto, até agora se descobrir a macabra mentira. Na terça-feira, o caso tomou dimensões nacionais e o FBI foi chamado para auxiliar a investigação da polícia local.

Nos jornais norte-americanos, esmiúça-se a vida financeira do casal, que terá passado por uma bancarrota em 2015, mas chegado a acordo com os credores para manter a casa. Ainda assim, o dinheiro seria pouco para fazer face às dívidas e daria origem a alguns atritos, mas não se sabe se esse problema terá tido alguma intervenção no caso. Na vizinhança, como muitas vezes acontece nestes casos, nunca houve suspeitas. Um vizinho diz mesmo que a mulher sempre admirou a “atenção que ele dava às meninas”.

pub