Home / Mundo / Oito mulheres acusam Morgan Freeman de assédio

Oito mulheres acusam Morgan Freeman de assédio

Assistente de produção é um das vítimas que conta comportamentos menos próprios que terá sofrido às mãos do ator de 80 anos.

No verão de 2015, uma jovem assistente de produção começou a trabalhar no filme “Going in Style” (“Ladrões Com Muito Estilo”, em português). Mas aquilo que parecia ser um trabalho de sonho, depressa se tornou num pesadelo.

A jovem contou à CNN que depressa começou a ser alvo de comportamentos menos próprios de Morgan Freeman, um dos protagonistas do filme. Segundo o seu relato, o ator de 80 anos terá submetido a assistente de produção a toques indesejados, no fundo das suas costas, ou fazia comentários à sua roupa ou aparência física.

Num desses incidentes, Freeman terá tentado levantar a saia da jovem e perguntou-lhe se usava roupa interior. E terá sido outro dos protagonistas do filme – Alan Arkin – a dizer a Freeman para parar com este comportamento.

Além do relato desta aparente vítima de assédio, outras fontes referem que não foi a primeira vez que Morgan Freeman terá tido este tipo de comportamento. No filme, “Mestres da Ilusão”, em 2012 terá feito o mesmo a um elemento sénior da produção.

No total 16 pessoas falaram com o canal de televisão norte-americano. Todas elas descrevem um padrão de comportamento inapropriado por parte do ator. Mas apenas oito dizem que foram vítimas do seu comportamento.

Outro dos depoimentos é da jornalista Chloe Melas, da CNN, que coassina a reportagem, recordando que, numa ronda de entrevistas a propósito daquele mesmo filme, Morgan Freeman teceu vários comentários de cariz sexual enquanto olhava insistentemente para ela, grávida na altura de seis meses.

Quatro pessoas que trabalham em rodagens de produções com Morgan Freeman ao longo da última década descrevem um persistente comportamento impróprio que incluía assédio verbal e tentativa de, por exemplo, levantar as saias das mulheres.

“Cada uma delas disse que não denunciou o comportamento de Freeman porque receava perder o emprego (…). O comportamento padrão descrito pelas pessoas que falaram com a CNN revela os problemas sistemáticos que existem na indústria do entretenimento”, afirma o canal de televisão.

A CNN refere ainda que tentou, sem sucesso, obter um esclarecimento ou reação do ator ou dos representantes.

Morgan Freeman é o mais recente nome associado ao escândalo de assédio sexual em Hollywood. Depois de em outubro ter rebentado o escândalo contra o produtor Harvey Weinstein, que foi acusado por dezenas de atrizes de assédio ao longo das últimas décadas. Mulheres como Angelina Jolie, Gwyneth Paltrow ou Ashley Judd, estão entre as primeiras a denunciar o comportamento do outrora homem forte de Hollywood.

pub