Home / Brasil / Bolsonaro e Haddad na segunda volta das eleições no Brasil

Bolsonaro e Haddad na segunda volta das eleições no Brasil

Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT) irão defrontar-se na segunda volta das eleições presidenciais brasileiras no dia 28, tendo cada um obtido 46% e 29% dos votos, respetivamente.

Com 99% das secções de voto apuradas, Jair Bolsonaro conquistou o voto de cerca de 49 milhões de brasileiros, seguido por Haddad que chegou perto dos 30 milhões, segundo os dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que começaram a ser divulgados às 19 horas (23 em Portugal continental).

Ainda de acordo com os dados praticamente finais do TSE, em terceiro lugar ficou o candidato Ciro Gomes (PDT) com 12% dos votos válidos do eleitorado, o que correspondeu a cerca de 13 milhões de votos.

Como nenhum candidato atingiu na votação deste domingo a marca de 50% dos votos válidos, o próximo Presidente da República do Brasil será eleito na segunda volta, a decorrer dentro de três semanas, a 28 de outubro.

Os últimos números foram divulgados perto das 22.15 horas (2.15 em Portugal contionental) e confirmaram a disputa final entre Jair Bolsonaro, o candidato da extrema-direita brasileira, e Fernando Haddad, que substituiu Lula da Silva na liderança da candidatura do PT (esquerda).

As reações dos candidatos

Pelas 20.40 horas locais (00.40 horas em Portugal continental), o candidato Fernando Haddad reagiu aos resultados na sua página de Facebook. “Agora, o debate será em torno de dois projetos totalmente opostos: o projeto da esperança, da defesa dos seus direitos, da geração de empregos e da luta pela igualdade social; e o projeto que quer continuar o corte dos direitos sociais”, afirmou Haddad.

Em declarações públicas após o apuramento das urnas, Fernando Haddad afirmou que é preciso ter em atenção os “resultados expressivos” e que esta “é uma oportunidade” para, na segunda volta, defender a democracia no Brasil.

“Honrado” pelos votos que recebeu, Haddad disse sentir-se também “desafiado pelos resultados que são bastantes expressivos, no sentido de nos fazer atentar dos riscos que a democracia corre”. Acrescentou: “A oportunidade do segundo turno é inestimável, que o povo nos deu, precisamos de aproveitar com sobriedade e sentido de responsabilidade”.

E para terminar: “Essa eleição coloca muita coisa em jogo. Nós vamos enfrentar esse debate. Queremos enfrentar com muito respeito e com uma única arma: o argumento”.

Fernando Haddad 13

@Haddad_Fernando
Iniciamos a campanha amanhã para sermos vitoriosos no segundo turno. Queremos unir o Brasil. É uma eleição diferente de todas que participamos.

1:31 AM – Oct 8, 2018
12.2K
3,430 people are talking about this
Twitter Ads info and privacy
Por sua vez, Bolsonaro reagiu aos resultados com um direto na sua página de Facebook, dizendo que é preciso continuar a “combater a corrupção” e que acredita no povo brasileiro para se mobilizar até ao dia da segunda volta das eleições.

Bolsonaro insinuou que houve irregularidades nas eleições: “Vamos junto ao TSE exigir soluções para isso que aconteceu hoje. (…) Tenho a certeza que se tivéssemos confiança no voto eletrónico já teríamos nome do novo presidente do Brasil”.

“Acredito em Deus, acredito em vocês, acredito no Brasil”, concluiu o candidato, despedindo-se com a frase “até à vitória”.

Também o candidato Ciro Gomes, que ficou em terceiro lugar nas eleições, reagiu com uma foto na sua página, com a frase “Muito obrigado, Brasil”.

Em seguida, estão Geraldo Alckmin (PSDB), 5%; João Amoêdo, com 3%; e Henrique Meirelles (MDB), com 1%. Abaixo, ainda aparecem Cabo Daciolo (Patriota), com 1%; Marina Silva (Rede), com 1%; Alvaro Dias (Podemos), 1%; e Guilherme Boulos (PSOL) aparece com 1%. Vera Lucia (PSTU) conta com 0,05%; Eymael (DC) com 0,04% e João Goulart Filho (PPL) com 0,03%.

As últimas urnas eletrónicas para as eleições presidenciais, do parlamento (Câmara dos Deputados e Senado) e governos regionais no Brasil encerraram às 17 horas locais (no estado do Acre, 21 horas em Portugal continental).

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) do Brasil divulgou às 19 horas deste domingo (23 horas em Portugal continental) as projeções iniciais da primeira volta das eleições presidenciais.

Bolsonaro vence nos consulados do Porto e Faro

O candidato da extrema-direita (PSL) Jair Bolsonaro, venceu nos consulados do Brasil no Porto e em Faro, segundo informações recolhidas pela Lusa.

“Quase 60% dos votos, mais concretamente 59,80%, em Faro foram para o candidato Jair Bolsonaro”, disse à Lusa o representante diplomático responsável pelo ato eleitoral no consulado de Faro, salientando que a afluência às urnas foi “fraca”, com apenas 22% dos eleitores inscritos.

Em declarações à Lusa, fonte consular explicou que a afluência foi maior durante o período da manhã, tendo à tarde havido alguns fluxos maiores de eleitores de acordo com os horários das chegadas dos comboios a Faro.

“Muito dos eleitores não residem em Faro, vem de outras zonas do Algarve ou do Alentejo, uma vez que a área de abrangência do consulado vai até Portalegre”, incluindo distritos de Évora e Beja, explicou.

No Porto, Jair Bolsonaro também venceu com larga maioria, disse à Lusa a vice-consul Lígia Verde, que adiantou que em segundo lugar ficou Ciro Gomes (o candidato que encabeça o Partido Democrático Trabalhista), ficando em terceiro o candidato do PT, Fernando Haddad.

Naquele consulado “a afluência foi enorme”, chegando a haver pessoas que estiveram à espera cerca de três horas para votar, admitiu a vice-cônsul.

“A afluência foi bem maior do que a esperada”, afirmou Lígia Verde.

Um total de 147,3 milhões de brasileiros foram chamados este domingo a votar nas eleições em que estarão em disputa o cargo de Presidente, mas também de representantes no parlamento (Câmara dos Deputados e Senado) e nos governos regionais.

As urnas nos consulados do Brasil em Lisboa, Porto e Faro abriram às 8 horas locais e encerraram às 17 horas.

Em Lisboa, a Lusa tentou obter resultados, mas a instituição remeteu quaisquer informações para Brasília.

Cerca de 40 mil brasileiros residentes em Portugal estavam aptos a votar nesta primeira volta das eleições presidenciais, segundo dados da Embaixada do Brasil em Portugal.

No total, eram mais 10 mil recenseados do que em 2014.

Cerca de 147 milhões de eleitores

Um total de 147,3 milhões de brasileiros foi chamado a votar numa eleição marcada por uma forte polarização entre a extrema-direita, com o candidato Jair Bolsonaro, e a esquerda através de Fernando Haddad, em representação do Partido dos Trabalhadores (PT).

O candidato do Partido Social Liberal (PSL), Jair Bolsonaro, foi quem liderou as sondagens ao longo de toda a disputa eleitoral e afirmou, neste domingo, após votar numa escola do Rio de Janeiro, que está confiante numa vitória na primeira volta.

“Sem grande partido, sem fundo partidário, sem tempo de TV, mas tendo a verdade e a sinceridade, desbancamos figurões que achavam que, fazendo parcerias e acordos com grandes partidos, via televisão, ganhariam a eleição”, afirmou o candidato, confiante numa vitória já este domingo.

Já o seu concorrente mais direto, Fernando Haddad (PT), disse acreditar numa segunda volta “mais civilizada”. O substituto de Lula da Silva no PT mencionou ainda o trabalho de alguns dos seus adversários na corrida eleitoral, como Ciro Gomes, do Partido Democrático Trabalhista (PDT), Marina Silva, do Partido Rede, e Henrique Meirelles, do Movimento Democrático Brasileiro (MDB).

Mais de 130 detidos por suspeita de crime eleitoral no Brasil

Mais de 130 pessoas foram detidas, este domingo, no Brasil por suspeita de cometerem crimes eleitorais, no dia das eleições para escolher o novo presidente, parlamentares e governadores regionais, anunciou o Tribunal Superior Eleitoral.

pub