Home / Comunidades Emigrantes / Dois lusodescendentes enfrentam-se em corrida eleitoral “muito quente”

Dois lusodescendentes enfrentam-se em corrida eleitoral “muito quente”

Os lusodescendentes Gary Soiseth e Brad Bates vão enfrentar-se nas eleições de 06 novembro para ‘mayor’ da cidade de Turlock, Califórnia, onde os residentes de origem portuguesa representam 7,4% da população.

A corrida “está muito quente e negativa”, disse à Lusa Gary Soiseth, o atual ‘mayor’ da cidade que se candidata à reeleição. “Os meus oponentes têm sido muito vocais, há um chamar de nomes e negatividade”, afirmou o político, filho de mãe portuguesa e pai escandinavo.

Do outro lado, está o lusodescendente Brad Bates, neto de um açoriano do Pico, que decidiu regressar à vida política para se opor à reeleição de Gary Soiseth. “Ele não foi o ‘mayor’ que as pessoas esperavam que fosse”, disse à Lusa, argumentando que o atual presidente da câmara se envolveu “de forma inapropriada” e “intimidante” na gestão da cidade.

A corrida tem ainda os candidatos Jaime Franco e Amy Bublak, atual membro do conselho da cidade.

A reputação intimidatória de Gary Soiseth, que o político de 34 anos nega, foi alvo de discussão nos debates entre os quatro candidatos. Brad Bates argumentou que a atitude do ‘mayor’ levou à saída consecutiva de dois gestores profissionais da cidade em dois anos e meio, tendo o cargo ficado vazio durante cerca de um ano.

Os dois lusodescendentes discordam também na gestão do orçamento da cidade e na alocação de recursos para a construção de uma estação de tratamento de água do rio Tuolumne, com custo estimado de 288 milhões de dólares (250 milhões de euros).

“Este ‘mayor’ está a aumentar o défice e não parece preocupar-se com números reais”, disse à Lusa Brad Bates. “Cada um tem direito à sua opinião, mas não tem direito aos seus próprios factos”, afirmou.

Gary Soiseth disse, por seu lado, que uma das prioridades da sua plataforma de reeleição será “olhar para formas de recuperar recursos através de novas fontes de receitas”, o que poderá ter a forma de um imposto de valor acrescentado.

Sem sondagens oficiais, as estimativas indicam, segundo Brad Bates, que a corrida será disputada entre ele e Amy Bublak, mas o atual ‘mayor’ tem hipóteses de ser reeleito se conquistar o voto dos indecisos. Todavia, afirmou que “há uma insatisfação grande com o ‘mayor'”.

Soiseth, que recebeu o apoio de 28 oficiais eleitos da Califórnia, sublinhou que a vantagem do incumbente “é relativamente pequena” nas eleições locais, “porque a pessoa é responsabilizada por tudo o que corre mal”. Ainda assim, considerou que a sua campanha “é forte” e disse estar confiante de que será “bem-sucedido” em novembro.

O atual ‘mayor’ também considerou que o tom negativo da campanha se deve, em parte, à influência do ambiente que se vive neste momento. “Acredito que se tornou aceitável no nosso discurso político, do nível nacional para baixo e de ambos os lados, dizer coisas não factuais e chamar nomes”, sublinhou.

Brad Bates, recentemente reformado da sua atividade profissional no setor dos seguros, garantiu que a sua intenção não é continuar na vida política se conquistar este mandato, indicando que pretende apenas “pôr a casa em ordem” e garantir o fim de “uma forma inaceitável de lidar com a governação local”.

Turlock, a segunda maior cidade no condado de Stanislaus, Califórnia, tem 5.269 pessoas de origem portuguesa, de acordo com o Censo de 2010.

pub