Home / Vidas / Enfermeira avisou Kathryn Mayorga para retaliação de CR7

Enfermeira avisou Kathryn Mayorga para retaliação de CR7

Ex-modelo alega que ficou com medo de ser humilhada publicamente após revelar caso às autoridades. Queixosa foi alertada para possível estratégia de descredibilização.

Não terá sido apenas a Polícia a desaconselhar Kathryn Mayorga a formalizar uma queixa por violação contra Cristiano Ronaldo. Também a enfermeira que realizou os primeiros exames forenses após a noite em que a ex-modelo e o futebolista se encontraram no The Palms Place Casino Resort, em Las Vegas, Estados Unidos, terá dito à norte-americana que esta seria alvo de “retaliação e publicamente humilhada” pelo agora jogador da Juventus.

Na queixa de Kathryn Mayorga lê-se até que a enfermeira do Centro Médico Universitário do Sul de Nevada avisou a agora professora que a defesa de CR7 iria tentar arruinar a sua reputação, ao acusá-la de ter mantido sexo consentido e, posteriormente, afirmar ter sido violada somente com o intuito de lhe extorquir dinheiro.

O encontro entre Cristiano Ronaldo e Kathryn Mayorga ocorreu a 13 de junho de 2009. No mesmo dia, a norte-americana foi submetida a exames médicos no Centro Médico Universitário, onde, alega a defesa de Mayorga, “evidências físicas de sodomia foram documentadas e fotografadas”.

Caso reaberto

Foi durante esse exame médico que a enfermeira terá dito que CR7, “ou alguém agindo em favor dele”, iria montar uma estratégia que levaria a opinião pública a acreditar que o jogador estava a ser vítima de “falsas acusações”.

Segundo os advogados de Kathryn Mayorga, o mesmo sucedeu quando esta foi à Polícia contar o que sucedeu. Na inquirição com o detetive, durante a qual identificou Cristiano Ronaldo como agressor, a antiga modelo terá sido avisada por aquele de que a equipa de “especialistas” contratada pelo jogador iria sustentar que CR7, “devido à sua riqueza e fama”, estava a ser vítima de chantagem.

A Polícia de Las Vegas refere que recebeu uma chamada, em 13 de junho de 2009, e que, quando o relatório foi feito, “a vítima não identificou o local do incidente, nem a descrição do suspeito”. “O caso foi reaberto em setembro e os detetives estão a investigar informação fornecida pela vítima”, acrescenta fonte policial.

Tony Carreira ao lado do jogador português

Tony Carreira saiu em defesa de CR7. “Pelo que conheço de Cristiano Ronaldo, não acredito nesta acusação e até prova em contrário é inocente”, disse o artista, numa atitude aprovada pelos fãs. Revoltado por “tantas barbaridades”, também o roupeiro da Seleção lembrou “os milhares de euros que (Ronaldo) já deu para ajudar tantas pessoas”.

pub