Home / Mundo / “Isto é uma revolução!” Violência em Paris agrava-se

“Isto é uma revolução!” Violência em Paris agrava-se

Às 17 horas locais as autoridades davam conta da existência de 205 detidos e 92 feridos, 14 deles membros das forças policiais. Os números oficiais do Ministério do Interior contabilizavam 75 mil manifestantes nas ruas de Paris. Duas horas antes, um banco, barricadas e veículos ardiam na zona do Arco do Triunfo.

Dois quilómetros mais abaixo, na rua do Rivoli, na zona da praça da Concórdia, outro carro encontrava-se em chamas. A essa hora, toda a Paris-chique estava fora de controlo e dominada pela violência. “Isto é uma revolução!”, exclama um “colete amarelo”.

“Isto é uma revolução!”, exclama um manifestante radical, encapuzado, para os jornalistas, na rua de Rivoli, junto à praça da Concórdia, onde perto das 16 horas locais se verificavam confrontos muito violentos com a polícia e onde um carro tinha sido incendiado.

As mesmas cenas de extrema violência e de guerrilha urbana, raramente vistas em Paris, com incêndios, barricadas e ataques à polícia, verificavam-se dois quilómetros mais acima, nos arredores do Arco do Triunfo, onde carros e mesmo um banco tinham sido incendiados.

Na rua de Rivoli estavam concentrados centenas de manifestantes que pretendiam entrar na praça da Concórdia e aproximar-se do Palácio Presidencial do Eliseu. A polícia bloqueava a passagem, mas não conseguia controlar a violência na conhecida rua comercial do centro de Paris.

O mesmo acontecia nas ruas adjacentes ao Arco do Triunfo, nas ruas de Kleber e de Friedland, onde se verificavam confrontos, ardiam carros e mesmo uma agência bancária tinha sido incendiada.

A polícia pouco conseguia controlar porque, pouco antes das 16 horas locais o que se constatava é que centenas de “coletes amarelos” circulavam no centro de Paris visivelmente dispostos a forçar as barragens que a polícia montou desde as seis da manhã para os conter.

pub