Home / Brasil / Ministra brasileira volta a ser polémica. Sexo entre mulheres “é uma aberração”

Ministra brasileira volta a ser polémica. Sexo entre mulheres “é uma aberração”

A mesma governante que disse no dia em que tomou posse “menino veste azul e menina veste rosa” volta a gerar controvérsia. Desta vez, há um vídeo de Damares Alves a circular na internet no qual faz várias afirmações polémicas numa palestra que deu numa clínica de conversão sexual.

A polémica parece não querer largar Damares Alves, escolhida por Jair Bolsonaro para ser ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos. As opiniões desta pastora evangélica e advogada fazem com que esteja constantemente debaixo dos holofotes e alvo de críticas.

A mais recente polémica diz respeito às afirmações registadas em vídeo quando ainda não era governante. Sexo entre mulheres “é uma aberração”, disse numa palestra que deu numa clínica de “restauração de sexualidade” e cujas imagens foram divulgadas pela Revista Forum. Depois de ter proferido a opinião controversa ainda diz: “falei de aberração, tu edita isso”.

A mulher que disse “menino veste azul e menina veste rosa” no dia da tomada de posse como ministra de Bolsonaro afirmou também que os homossexuais e os travestis são “doentes” na referida palestra da clínica de “restauração da sexualidade”, onde são realizados tratamentos para conversão de homossexuais.

As imagens de Damares Alves a discursar foram divulgadas a partir de uma denúncia de um dos antigos “pacientes” da clínica que a revista Fórum preferiu não se identificar. De acordo com o site, a ministra brasileira e vários defensores do novo governo de Bolsonaro afirmam que existe uma “doutrinação” para incentivar as crianças a tornarem-se homossexuais.

“Nós não somos homofóbicos, mas de repente declararam guerra contra nós. Nós não somos homofóbicos, nós simplesmente falamos o que entendemos que, de acordo com a Bíblia, é pecado”, disse a governante.

O ex-paciente da clínica de “restauração da sexualidade” que fez a denúncia conta que viu as palestras da ministra no Seminário Intensivo de Sexualidade, entre 2014 e 2015.

Segundo o jovem, este seminário sobre sexualidade tem a participação de pastores evangélicos, psicólogos e advogados, que “curam” o que chamam de “transtornos sexuais”, tais como a homossexualidade.

Em Portugal, a TVI denunciou numa reportagem da jornalista Ana Leal, emitida na quinta-feira, dia 10, “um grupo secreto” que levará a cabo terapias de conversão sexual.

pub